quarta-feira, 26 de dezembro de 2007

... uma pequena carta

Terminada a quadra natalícia, e a aproximação do fim do ano, com outro tipo de festas e comemorações, quase todos nós nos esquecemos daquilo que costumamos defender - "Natal devia ser todos os dias". Mas acredito que este blogue teve algum tipo embate, tanto na mente como no coração de cada um daqueles que o visitaram. E está provado que muito falta fazer pelo Natal.
Foi a minha primeira experiência como "blogueiro". E fiquei muito contente com as visitas que o blogue teve até hoje. Por isso aqui ficam meus agradecimentos a todos aqueles que para além de visitar o blogue, contribuiram para o crescimento do mesmo. Procurei abordar vários assuntos, mais ou menos do interesse de cada um que quis participar com suas palavras. Mais de 600 visitas é um número que eu não estava à espara. No entento, pensei que os comentários, opiniões, ou testemunhos podessem ter outra expansão.
Nunca quis criar nenhum debate sobre o Natal, pois o mesmo não necessita disso. Mas, por alguma falha minha, ou não, poucos foram aqueles que se interessaram por seguir de perto as novidades do blogue, e assim reagiram com suas palavras. Ele vai continuar aberto, tanto a visitas como a comentários. E eu também vou procurar atualiza-lo até dia 6 de janeiro de 2008, dia de Reis, após o qual me dedicarei a um outro blogue bem diferente.
A todos continuo desejando Boas Festas, e mais uma vez, um sincero obrigado.
Um abraço,
Ricardo

3 comentários:

Sandra Minck disse...

QUEM MORRE?

Morre lentamente
Quem não viaja,
Quem não lê,
Quem não ouve música,
Quem não encontra graça em si mesmo

Morre lentamente
Quem destrói seu amor próprio,
Quem não se deixa ajudar.

Morre lentamente
Quem se transforma em escravo do hábito
Repetindo todos os dias os mesmos trajeto,
Quem não muda de marca,
Não se arrisca a vestir uma nova cor ou
Não conversa com quem não conhece.

Morre lentamente
Quem evita uma paixão e seu redemoinho de emoções, Justamente as que resgatam o brilho dos
Olhos e os corações aos tropeços.

Morre lentamente
Quem não vira a mesa quando está infeliz
Com o seu trabalho, ou amor,
Quem não arrisca o certo pelo incerto
Para ir atrás de um sonho,
Quem não se permite, pelo menos uma vez na vida, Fugir dos conselhos sensatos...

Viva hoje !
Arrisque hoje !
Faça hoje !
Não se deixe morrer lentamente !

NÃO SE ESQUEÇA DE SER FELIZ!!!

Pablo Neruda

Deixo aqui meus votos de um Feliz 2008 a todos, com muito carinho e respeito.

Sandra Minck disse...

Shall I compare thee to a summer's day?
Thou art more lovely and more temperate:
Rough winds do shake the darling buds of May,
And summer's lease hath all too short a date:

Sometime too hot the eye of heaven shines,
And often is his gold complexion dimmed,
And every fair from fair sometime declines,
By chance, or nature's changing course untrimmed:

But thy eternal summer shall not fade,
Nor lose possession of that fair thou ow'st,
Nor shall death brag thou wand'rest in his shade,
When in eternal lines to time thou grow'st,

So long as men can breathe or eyes can see,
So long lives this, and this gives life to thee.

William Shakespeare

Anónimo disse...

Foi muito bom teres criado este blog! Além de ter grande interesse, foi muito bem concebido...bem estruturado, apelativo, criativo e até polémico!
Sinti-me mais próxima de ti e de todos os que partilharam as suas ideias aqui!
Suscitou reflexões que, embora nem sempre tenham sido escritas, foram pensadas...e só por isso: PARABÉNS Ricardo!!